Pensando Alto: "Primeiras Impressões Sobre a Série Shadowhunters"

Oi, tudo bem?
Bom, hoje eu estou aqui para falar para vocês sobre as minhas primeiras impressões da série Shadowhunters exibida pela netflix, mas antes de começar eu preciso falar que li o livro Cidade dos Ossos no ano de 2013 e me lembro apenas os fatos principais, eu resenhei este livro no meu antigo blog, se vocês quiserem saber a minha opinião na época sobre o livro me falem que eu posso postar lá na minha página no facebook, mas o que me lembro bem é que o livro apesar de ter tido um início bem arrastado o seu desenvolvimento e o seu final me agradaram muito, mas não sei ao certo o motivo que eu não continuei a série, mas pretendo este ano reler o primeiro livro e terminar esta série (se vocês já leram me contem se devo ou não continuar).

Mas indo ao que realmente interessa, me lembro a época em que anunciaram o lançamento do filme em 2013 eu fiquei super empolgada, mas quando o assisti pequenos pontos me deixaram meio chateada, principalmente o spoiler do final que fez com o que tinha sido o ponto mais alto na leitura não ser tão alto assim no filme.

E é lógico que quando soube da série fiquei pensando: "agora vai!" mas, tenho que dizer que não foi e só vou continuar a assistir de teimosa mesmo, quem sabe o trem alavanca?
O que deu para perceber é que esta primeira temporada vai passar rapidamente o que acontece no primeiro livro e vai para o segundo já que o filme abordou o que ocorre no primeiro livro e acho justo que isso aconteça,

O que realmente me incomodou foi o elenco, e como algumas coisas foram colocadas na série, lembrando que essa é a minha opinião, se você gostou da série fico feliz por você.

Primeiro de tudo o que mais me incomodou com toda certeza foi o Jace, para quem leu o livro vai perceber que ele é uma pessoa enigmática e até um pouco antipática com um humor ácido que só ele tem e na série ele aparece amigável de mais, e eu não consigo notar o Jace, para mim é um personagem baseado nele, mas jamais é o Jace que li no livro ou até mesmo vi no filme (o defeito do Jace do filme era que ele era feio só isso), parece que o ator sequer leu o livro para saber um pouco do personagem.

Outra coisa que me irritou profundamente foi a Claire nossa, que mala, tudo é irritante nela a voz, os trejeitos, a atuação acho que o grande motivo foi ter assistido uma Claire bem melhor na pele da Lili Colins, não gostei.

A série ficou adolescente de mais e acredito que tende a piorar a situação, toda a parte de tensão e até mesmo aventura do livro não ficou bem claro para mim. Afinal de contas eles são caçadores de demônios e na real parecem os integrantes de rebelde, não consegui ver neles os personagens de fato, o que é aquela Isabelle com cara de adolescente sendo "sexy"? o único que ficou bem parecido na minha opinião foi o Simon e só.

Nunca pensei que diria isso, mas o filme é mil vezes melhor que a série, de verdade. Essa é a minha opinião, pode ser que você assista e goste afinal de contas somos pessoas diferentes, não quero desanimar ninguém, mas esta foi a minha reação após ter assistido aos dois episódios até então exibidos (escrevi na véspera de sair o terceiro episódio) e eu tinha altas expectativas já que as séries feitas pelo netiflix do demolidor tinha sido animal e todo mundo fala super bem da série da Jessica Jones, pensei que com shadowhunters não seria diferente, só que quebrei a cara infelizmente.

Não deixem de comentar se vocês já assistiram a série e qual a opinião de vocês.
Um grande beijo e até a próxima!

Você sabia? LJI parceria Editora Planeta Brasil!




Olá amigos tudo bem!

Dia primeiro de fevereiro o LJI recebeu ótima noticia, passamos na parceria da Editora Planeta Brasil!
Ficamos muito felizes pelo reconhecimento e confiança nesse ano 2016, teremos muitas leituras pela frente e muitas novidades da Editora. Agradeço a todos os leitores pelo carinho e aos nossos colaboradores, Sonia Nabono, Flávia Gonçalves, Isabella Casquet, Carol Piazarolli e Rafa Rodrigues.


Amadurecer tem dessas coisas: aceitar que o universo é muito mais vasto do que a gente imagina e que a gente só tem a ganhar quando se está aberto às novas experiências.
Nós, da Editora Planeta, acreditamos nisso. E, baseados na expertise adquirida nos últimos 12 anos de atuação aqui no Brasil, criamos Outro Planeta.
Aqui nesse espaço habitam temas contemporâneos. Vamos falar sobre cultura, música, cinema, internet, amor, amizade e tantos outros assuntos pertinentes ao universo pop.
A ideia é que Outro Planeta seja a casa de gente bacana, sedenta por novidades, não só do mercado editorial. É o lugar que escolhemos para nos aproximarmos dos nossos leitores, para sabermos o que pensam, o que querem e o que esperam de nós.

Fiquem de olhos nas novidades

 Eles se conheceram há dois anos, quando mais precisavam de apoio, e formaram o clube dos incompreendidos. No entanto, algo mudou e agora já não sabem se podem contar uns com os outros. Valéria não sabe se, ao se deixar levar pelos seus sentimentos, pode trair sua melhor amiga; Bruno escreve cartas de amor que não dão resultado; Maria é o patinho feio que busca o seu lugar; Elisabete não está acostumada a ouvir “não”; Raul não quer se equivocar desta vez; e Ester gostaria de gritar o seu amor aos quatro ventos. Amores transbordantes, dúvidas existenciais, segredos inconfessáveis e muita, muita diversão.












Ana Elizabeth troca o luxo e a riqueza da sua aristocrática família londrina pelas “calles” madrilenas, em busca do seu sonho: ser fotógrafa. Dona do seu nariz, ela monta com a amiga Nekane um estúdio fotográfico na capital espanhola e segue seu caminho de sucesso. No dia em que o prédio onde trabalham enfrenta um incêndio, Ana conhece Rodrigo, um dos bombeiros que atendem ao chamado da ocorrência. A troca de olhares aquece não só o corpo da fotógrafa, mas também seu coração e ela se entrega à inusitada amizade – com benefícios – que nasce entre eles. Apesar de cúmplices, um balde de água fria vai comprometer a liga dessa relação, quando Rodrigo – um mulherengo de carteirinha – descobrir que sua querida Ana está grávida de um turista suíço que passou por sua vida sem passagem de volta e de quem ela só sabe o nome. E o que dirá sua pomposa família quando souber que ela está grávida de um desconhecido e é amante de um bombeiro pobretão? Só a leitura do livro revelará!






Quando tudo parece estar perdido para Emma Van Court, que acaba de se tornar viúva, a promessa de uma grande fortuna lhe cai dos céus. Mas há uma condição para abocanhar a herança: ela terá de se casar novamente. Como não se especificou o noivo, todos os homens da pequena Faires, na Escócia, resolvem participar dessa corrida do ouro e passam a disputar as atenções da jovem viúva. Os competitivos pretendentes só não contavam com a presença de James Marbury, primo do falecido marido, Stuart, que chega ao vilarejo para ajudar Emma com os trâmites do inventário. No passado, os dois tiveram uma aproximação, e James ainda nutre fortes sentimentos pela, agora, viúva. Conseguirá ele afastar a horda de interesseiros pretendentes e finalmente se juntar à sua amada?


Novidades

Sai nesse primeiro semestre o livro da blogueiras mais queridas do mundo virtual, se prepara para invadir também o mercado editorial, Taciele Alcolea.

Quer saber tudo em primeira mão? Cadastre-se em nossa newsletter e use a hashtag #TaciNaPlaneta




Planeta está no Snapchat


Resenha "O manual da Garota cacheada"


Classificação

Informações do livro
Titulo: O manual da garota cacheada
Subtítulo: O método Curly Girl
Autor/a: Lorraine Massey
Editora: Best Seller
Gênero: Moda, Estilo e Beleza
Meta de leitura


Um verdadeiro manifesto da revolução das cacheadas, um gesto de libertação em meio à ditadura dos cabelos lisos
O manual da garota cacheada: o método Curly Girl é o livro que faltava às estantes de todas as cacheadas, não apenas as que já assumiram seus fios naturais, mas também aquelas que ainda buscam se reconciliar com as suas madeixas de origem. A partir das lições de Lorraine Massey, referência internacional no tratamento de cabelos cacheados, a leitora aprenderá a identificar o seu tipo de cacho e como utilizar os métodos Low-Poo e No-Poo a seu favor. Além de ensinar a cuidar das mechas de forma rápida e prática, Massey dá dicas de como cortar, pintar e pentear os cachinhos. Há também capítulos dedicados a homens e crianças, bem como conselhos a quem está passando pela transição entre a química e os fios naturais e a quem está em processo de quimioterapia. Muito mais do que um guia de práticas para a manutenção dos cachos, O método Curly Girl é indispensável a todas que desejam assumir suas raízes — ancestrais e capilares — e dar adeus às chapinhas e aos secadores de uma vez por todas.


Olá amigos tudo bem?

A resenha de hoje é bem diferente, esse livro foi um presente especial da amiga Raquel Araujo do blog Por uma boa leitura, e posso dizer que foi o melhor presente de todos. No decorrer da resenha, haverá depoimentos de algumas pessoas que passaram por algum tipo de transformação de cabelo e contar a sua experiências.


O livro traz dicas valiosíssimas, de como aprender amar e cuidar dos seus cabelos, não somente para as garotas, mas englobando todos os perfis de pessoas com cabelo cacheados, enrolados, encaracolados e crespos, portanto meninos sem preconceito, tem dicas super válidas para deixar os cabelos saudáveis.
O legal desse livro, é que a leitura dele descobrimos como é divertido testar as receitas, trocar ideias com as amigas, e notar resultados notórios dos procedimentos, são receitas fáceis de fazer para cada tipo de cabelo. Nele é possível identificar cada tipo de cabelo e suas características, e saber qual o melhor tratamento e cuidado que deve ter com ele.


Nele conhecemos o Método Curly Girl, Low-Poo e No-Poo, são métodos de lavagem que consiste no uso de pouco shampoo ou a ausência dele, ou seja, se achava que espuma é sinônimo de limpeza você está redondamente enganado. Nesse livro verá que o procedimento requer cuidado e atenção. Eu fiz o teste com um shampoo que quase não tinha espuma e o resultado foi totalmente satisfatório. Caso alguém queira saber o nome dos produtos, pode encaminhar e-mail para o contato do blog, não vou expor marcar de produtos aqui no LJI, ok.

Ele transmite uma liberdade sincera e definitiva para as dúvidas que temos com os nossos cabelos, afinal eles são o cartão postal da aparência. Quando algo não vai bem em nossas vidas, a primeira coisa que fazemos é um corte diferente, um penteado e depois a maquiagem. Não é mesmo? Ele dá esperança para várias pessoas, ensina as crianças amaram seus cabelos e cuidar desde pequenos. Para Bella foi superinteressante como ela aprendeu rápido as dicas desse livro, de como lavar, desembaraçar e manter os cachos em harmonia, nada é complicado, basta ter boa vontade e amor pelos cabelos.




Notei também como os cabelos quando cacheados eles ficam com aspectos de mais saudáveis, as pontas ficam hidratadas e lindas. Eu tenho um longo desafio pela frente com os meus cabelos, de vez em quando faço escova é uma mania quase que inconsciente, mas tento modelar ao natural usando modelador para deixar de vez quando ele diferente e livre.
Além disso o livro quebra todos os tabus e preconceito quanto aos cabelos cacheados, sempre escuto relatos de Buyling nas escolas, quando pessoas fazem piadas dos cabelos mais crespos, no próprio livro Lorraine Massey conta que seus próprios irmãos implicavam com seus cabelos, ela conta que aos 4 anos ela pediu uma peruca de cabelo liso, por que não aguentava mais a discriminação com seus cabelos.

Uma realidade que pode ser mudada, com muito amor, dedicação, paciência e saber lidar com as diferenças. Eu quero agradecer a Kel por esse lindo presente que nos proporcionou grandes descobertas e muitas conquistas.

Depoimentos

Quando tudo começou...

Quando eu tinha meus 15 anos eu sofria para diminuir o excesso de volume do meu cabelo, ele vivia preso em um coque ou rabo de cavalo, e quando engravidei do meu primeiro filho aos 16 anos, meus cabelos cresceram muito chegando na altura da cintura, logo ficou impraticável lidar com cabelos enrolados e enormes. Foi então que iniciei fazendo relaxamentos, anos depois a progressiva, nunca tive problemas de queda, mas a estrutura do cabelo nunca mais foi a mesma. Hoje com 33 anos resolvi dar a chance para o meu cabelo, não é uma tarefa fácil e requer paciência.





Minha cabeleireira a muitos anos Cris é quem cuida dos meus cabelos, toda química que realizo, relaxamento, progressiva, luzes foi ela quem fez com extremo cuidado, nunca tive qualquer problema, mas resolvi dar um tempo na química e aproveitar as novidades que atualmente vem bombardeando o público das cacheadas.




Em terra de chapinha, quem tem cabelo cacheado é rainha.

Minha Bella
Bella minha filhota tem um cabelo maravilhoso todo cacheado, graças aos genes da mamãe combinado com o cabelo liso e expeço do papai, o que fez uma combinação perfeita de cachos definidos. Mas nem tudo são flores, o cabelo da Bella requer muito cuidado, e claro escolher o produto certo para deixar lindo e saudável.

A busca de profissionais adequados.

Durante boa parte da minha vida eu tive que conviver com salões (des)preparados para tratar com o cabelo encaracolado ou crespo. Lembro que sempre saía muito frustrada (às vezes até chorando), pois meu cabelo nunca estava do jeito que eu queria. Minha adolescência foi a base de cabelo preso ou com escova e chapinha. Até que, em 2011, eu descobri um salão especializados em cabelos cacheados, uma clínica dos cachos. E lá eu tive a primeira experiência bem sucedida com um cabeleireiro! Nunca me esquecerei deste dia. O resultado foi imediato: aprendi como lavar o cabelo, a usar o famoso no poo, como aplicar o creme de cabelo, enfim, a cuidar verdadeiramente do cabelo na sua forma natural. São informações que fazem toda a diferença no resultado final. Hoje eu passei a amar ainda mais os meus cachos e a cada ida ao salão é um dia de alegria pra mim, pois sei que sairei satisfeita de lá.

Juliana Nabono, 29 anos.Produtora de Eventos.



Depois do trauma, a recompensa...

Fiz definitiva por 3 anos porque o cabeleireiro disse que seria legal. Eu já fazia muita escova e ele sugeriu alisar de vez. Até que um dia, eu fiz luzes e quando eu fui retocar a escova, meu cabelo caiu.  Toda a parte da nuca (que graças a Deus cresceu) e também a parte da têmpora e perto da orelha. Enfim... depois disso eu resolvi parar. Até porque só o retoque já era tipo uns 200 reais
Tinha um super cabelão. Mas ia cortando aos poucos para poder voltar ao normal.  E por causa da queda, meu cabelo perdeu o volume.  Conforme ele ia crescendo, ficava horrível porque eu não tinha volume nas pontas.  Mas fui persistente e a vontade de economizar venceu a vaidade. Também fiquei meio traumatizada né...  Imagina...  MEU cabelo caiu da raiz.





Raquel Araujo, 25 anos, Jornalista e blogueira do Por uma boa leitura.



A importância da informação, e o final feliz com as Jujubinhas. Minhas sobrinhas lindas.

Desde os 12 anos aliso meu cabelo, já passei todo o tipo de produto como guanidina, relaxamento, amaciamento e pôr fim a progressiva. A princípio minha decisão de alisar meus caixinhos tão lindos foi por não ter a opinião totalmente formada na época e ne deixei levar pelo excesso de apelidos e não se "encaixar" no padrão de beleza da época (totalmente liso e escorrido). Hoje tento deixar ele ser natural, mas não consegui ainda porque percebo que ele já não cresce tão cacheado como era ao natural e também me falta a coragem que muita gente tem de cortar tipo Joãozinho tirando de vez toda a química para enfim crescer ao natural.
Mas a história não vai de repetir com minhas 3 filhas que também são super cacheadas, pois desde pequeninas já são incentivadas a ter sua opinião formada e acima de tudo enxergar sua real beleza maravilhosa. Além do mais hoje o mercado cosmético para cacheadas esta superaquecido assim fica mais fácil com muitas opções que deixam os cachos soltos, formados e brilhosos.
Nelas lavo os cabelos 2x na semana com shampoo para cachos e 1x na semana somente com o condicionador ambos para cachos, e também realizo hidratação com cremes específicos e receitas caseiras.
Para facilitar o manuseio da correria da semana faço muito trança pois fica arrumado por mais tempo além de estiloso e por fim usar e abusar de acessórios, arquinhos, glitter para cabelo e muita criatividade e sem vergonha mesmo deixar os cachos livre e soltos, além de ser muito divertido.

Juliana de Avelar Rodrigues, 28 anos.

Ser cacheada é bom demais...

Quando eu era adolescente não usava o meu cabelo solto, por que eu não conseguia doma-lo, e também não sabia qual produto mais adequando para usar, não tinha costume de ir para salão, usava ele com rabo de cavalo. Quando entrei na faculdade, comecei a usar ele liso com alguns produtos indicados e realizar selagem, um processo que é feito no cabeleireiro que abre os cachos do cabelo e não alisa e é menos agressivo. Mas me identifiquei com alguns produtos, o leave-in e umidificador de cachos foi uma saída. Sempre gostei dos meus cabelos cacheados, nunca quis ser escrava da chapinha, da escova, por mais que as pessoas falam que fico bonita com cabelos lisos, eu gosto deles naturais. A gente tem que assumir aquilo, que a gente gosta. Mas ser cacheada é muito bom!



Aline Gonçalves, 26 anos. Jornalista e blogueira no Livros y Viagens.


Eu quero agradecer de coração o depoimentos das minhas queridas amigas, contando suas experiencias, e mostrando que é possível manter os cachos, quebrando todos os tabus da ditadura dos lisos. Todo mundo tem o direito de ter o cabelo que quiser, de ter aquilo que faz bem, seja cacheado, crespo, liso, enrolado, o importante é ser feliz.

Resenha "Um beijo inesquecível"


Classificação



Informações do livro
Título: Um beijo inesquecível
Série Os Bridgertons Volume 7
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Gênero: Literatura Internacional/ Romance de Época
Livro enviado para resenha em parceria editora.



Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente.
Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.



 Enfim vamos conhecer a excêntrica Hyacinth Bridgerton a caçula mais sagaz e determinada de todos os irmãos, sua característica pungente e excêntrica dá a ela um ar superioridade que espanta qualquer pretendente que não tenha o mínimo de personalidade para lidar com a seu jeito peculiar.
Ela reserva as tardes de terça-feira para ficar em companhia da senhora Lady Danbury, passavam a tarde lendo o livro Srta. Butterworth e o Barão Louco, a afinidade entre elas era notável, os comentários mordazes e tiradas sarcásticas eram suas especialidades.

Sua família tinha grandes esperanças que enfim ela fosse aceitar alguma proposta de casamento nessa temporada, seu irmão Antony que o diga, pois, essa responsabilidade era o que mais o deixava preocupado. Mas quem iria de fato entender a personalidade forte e inabalável de Hyacinth, somente uma pessoa que se pareça com ela, ou que entenda o seu modo moderno de levar a vida. É aí que entra Gareth...

Gareth St. Clair é um rapaz muito belo e conquistador, sua fama de libertino era conhecido por todos em Londres, mas o mais inusitado era ser neto da excêntrica Lady Danbury. O encontro desses dois personagens fica por conta do recital enfadonho Smythe-Smiths, o que tinha tudo para ser totalmente desastroso, se transformou em uma conversa interessante, onde jamais imaginavam a aventura que estava por vir.


Lady Danbury era a única família de Gareth, seu pai o Barão de St. Clair era totalmente repugnante e fazia de tudo para diminuir a sua existência, o casamento arranjado foi a gota d´agua, seu pai tinha o único objetivo, casa-lo e receber o dote, já que acumulava muitas dividas, ele foi obrigado a fugir para sair das garras do Barão, mas felizmente sua avó materna Lady Danbury não o desamparara, e o mantinha na medida do possível levando uma vida modesta em seu ap em Londres. Seu irmão mais velho George morre repentinamente, mas uma visita inesperada de Caroline a viúva de seu irmão, lhe traz algo intrigante, um diário que continha um bilhete instruindo que ele fosse dado a Gareth, o diário pertencia a sua avó italiana paterna Isabella, o grande desafio era traduzir o que continha nesse diário, intrigado ele vai ao auxílio de Lady Danbury.

Diálogo entre Lady Violet Bridgerton e Gareth St. Clair

"-Meu filho e a esposa vão dar um grande baile. Estou certa de que recebeu o convite.
Gareth também estava certo de que recebera, mas em geral os atirava para o lado sem nem mesmo olhá-los.
- Eu lhe prometo - continuou Lady Bridgerton - que não haverá unicórnios.
Fisgado. E por uma mestra, acima de tudo.
- Nesse caso - começou ele educadamente -, como poderia recusar?
- Excelente. Sem dúvida Hyacinth ficará encantada em vê-lo.
- Eu mal consigo me conter de alegria - murmurou Hyacinth.
- Hyacinth! Exclamou a mãe, se virou para Gareth. - Ela não quis dizer isso.
Ele se voltou para Hyacinth.
- Estou desolado.

Em uma das tardes de terça-feira Lady Danbury recebe a visita de Gareth, coisa que era bem atípica acontecer, e mais uma vez ele encontra Hyacinth, sua curiosidade em saber o conteúdo do diário não intimida em revelar na presença da Bridgerton, que ao saber o que ele queria de sua avó, se compromete a traduzir o diário. O que era para ser uma simples tradução se torna algo bem maior, Hyacinth encontra algo realmente curioso em um dos relatos da avó italiana de Gareth, e claro juntando duas pessoas com espirito aventureiro, embarcam em uma divertida caça ao tesouro.


Essa aproximação rende muitas risadas e diálogos extremamente divertidos, das histórias da família Bridgerton essa foi sem dúvida a que mais me cativou. Os personagens são diretos e muito inteligente, não existe monotonia quando os dois estão juntos, e diante dessa aproximação fica inevitável que algo maior cresce entre eles.


Nesse livro Julia, explora de todas as formas a personalidade cativantes de Hyacinth, Gareth e Lady Danbury, eles roubam a cena quando estão dialogando, foi um livro inesquecível de ler. A única coisa que me deixou intrigada foi o epilogo, mas isso vocês saberão ao ler esse volume, mas posso adiantar um grande gancho nesse final.

É cômico, divertido, romântico e mantém um pequeno suspense para apimentar a história, eles são uma família muito divertida e incomparável, e que tem o dom de se meter em grandes confusões, mas mantendo o romance que é o ponto alto do livro. Essa formula deixa o livro fascinante e impossível parar de ler, o que é uma pena, por que sempre fico com aquele gostinho de quero mais.






Resenhas
Um beijo inesquecivel

Resenha "O último dos canalhas"


Classificação

Informações do livro
Título: O Último dos canalhas
Autor/a: Loretta Chase
Editora: Arqueio
Gênero: Literatura Internacional/ Romance de época
Livro enviado para resenha em parceria Editora Arqueiro.


O devasso Vere Mallory, duque de Ainswood, está pronto para sua próxima conquista e já escolheu o alvo: a jornalista Lydia Grenville. Só que desta vez, além de seduzir uma bela mulher, ele deseja também se vingar dela.
Ao se envolver numa discussão numa taverna, Vere foi nocauteado por Lydia e se tornou alvo de chacota de toda a sociedade. Agora ele quer dar o troco manchando a reputação da moça.
Mas Lydia não está interessada em romance, principalmente com um homem pervertido feito Mallory. Em seus artigos, ela ataca nobres insensatos como ele, a quem considera a principal causa dos problemas sociais.
Nesse duelo de vontades, Vere e Lydia se esforçam para provocar a derrota mais humilhante ao mesmo tempo que lutam contra a atração que o adversário lhe desperta. E, nessa divertida batalha de sedução e malícia, resta saber quem será o primeiro a ceder à tentação.


Oi amigos tudo bem? Bem vindo Fevereiro!


Romances de época são os meus favoritos, eu sempre me surpreendo a cada história que eu leio, em O último dos canalhas o casal excêntrico rouba a cena quando mostram a sua personalidade forte e determinada.

O último dos Canalhas é o devasso Vere Mallory, ele vem de uma linhagem de duques com uma reputação totalmente duvidosa, e Vere seguia mais ou menos a linha desses seus antepassados. Mas sua existência foi marcada por falecimentos inesperados de vários familiares, o seu tio chegou a prever que isso aconteceria, suas últimas perdas o marcaram profundamente, primeiro foi seu primo Charlie muito querido por ele, e logo depois Robin de apenas 9 anos filho de Charlie que morre de difteria.

Charlie deixa a tutela de seus filhos com Vere, mas por muito tempo ele niglegenciou essa tutela, após a perda de Robin, as suas irmãs mais velhas Emily e Elizabeth foram deixadas aos cuidados de outros membros da família, e ele desconhecia a amor e o carinho que elas tinham por ele ao cuidar com tanto carinho de Robin, por isso a história promete grandes acontecimentos com essas duas curiosas adolescentes.

Lydia Grenville é uma jornalista, ela escreve para o periódico Argos, dona de si e muito inteligente, ela luta pela causa dos mais pobres, e tem grandes desavenças com várias cafetinas de Londres, seu maior desafeto Coralie será uma pedra grande em seu caminho. Em uma das suas missões para tentar salvar mais uma menina dessa vida, ela encontra Vere. Após uma discussão acalorada Lydia não perde tempo e nocauteia Vere, na frente de todos que estavam ao redor, e foi o que bastou para ele se tornar alvo de fofocas e chacotas de Londres. Ele promete se vingar de Lydia, e começa a perseguir todos os seus passos.

Mas sabe aquele ditado, quem desdenha quer comprar, é o que acontece com os dois, mesmo eles se engalfinhando toda as vezes que se encontravam, algo nesse envolvimento os aproximavam. Para deixar a história ainda mais interessante vamos rever Lorde Dain Belzebu, que é o melhor amigo de Vere, no primeiro livro O príncipe dos canalhas ele se envolvem em uma briga homérica, após Vere confundir Lady Dain em uma cortesã. Mas isso não abala em nada essa amizade, e uma grande revelação irá deixar a história ainda mais interessante.

Outro personagem que vai deixar a história engraçada é o desastrado Bertie Trent, irmão de Jéssica, no primeiro livro Lord Belzebu não queria vê-lo nem pintado de outro, era visto como perda de tempo, mas sua união com Vere deixa a história cômica, por que de alguma forma eles acabam se dando bem.

Muitos acontecimentos vão rechear esse livro, conhecemos um pouco sobre o passado sofrido de Lydia, e o que ela fez para se tornar uma pessoa respeitada e ao mesmo tempo temida, seus textos como A rosa de Tebas, faziam muito sucesso, ela desenvolveu uma habilidade na escrita que rendeu muitos leitores assíduos do periódico. Vere é um personagem que rouba a cena muitas vezes no livro, seu humor sarcástico e dissimulado é seu traço mais forte.

Loretta Chase mais uma vez nos transporta para uma história cativante, onde ela não economiza nos diálogos, engraçados e sarcásticos, e nos mantem presos a todos os acontecimentos e cheios de ação. Um romance tórrido repleto de ação, brigas, disputa, que deixam o livro irresistível. Uma união que percebemos uma conexão do casal desde o início do livro. São personagens com personalidade fortes e determinados.

Adorei a narrativa desse livro, a autora explora totalmente os sentimentos de cada personagem, envolve o leitor de forma inteligente sem perder tempo com detalhes excessivos. A batalha entre ele é o ponto alto do livro, me peguei várias vezes rindo com os diálogos espirituosos, e situações embaraçosas, ela explora a sedução dos personagens deixando a leitura madura e deliciosa.

Lançamentos Arqueiro e Sextante Fev/2016



Oi galera animada! 

Temos novidades literárias quentinhas da Arqueiro e Sextante para o mês de fevereiro. Tem para todos os gostos.

#2 Pronto Falei " Cadê os meus seguidores do GFC?"


Oi amigos tudo bem?

Apesar de dizer o mantra todos os dias.... "não vou me abalar... não vou ligar... deixa pra lá"...

Nãooooooooooooooooooo...  Cadê os meus seguidores que estavam aqui???!!!

Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥