Resenha " Os segredos matemáticos dos Simpsons"


Classificação


Informações do livro
Titulo: O segredos matemáticos dos Simpsons
Autor/a: Simon Singh
Editora: Record
Gênero: Matemática / Não-ficção
Livro cedido em parceria com Grupo Editorial Record.


Um livro que oferece um vislumbre completamente novo de um dos programas de maior sucesso da história da televisão.
Você pode ter assistido a centenas de episódios de Os Simpsons (e de seu primo, Futurama) sem nunca ter se dado conta das referências sutis à matemática brilhantemente incorporadas em muitas tramas – de equações famosas aos teoremas e conjecturas mais modernos. Ao relembrar episódios memoráveis da série, Simon Singh revela que por trás dessas referências estão a genialidade e o senso de humor sem igual dos roteiristas, muitos deles com formação acadêmica avançada em matemática.
Os segredos matemáticos dos Simpsons mergulha em histórias que exploram diversos conceitos matemáticos, apresentando imagens dos episódios, diagramas e testes.






Com certeza em algum momento da vida você assistiu um episódio do desenho Os Simpsons, uma série adulta norte americana criada por Matt Groening para Fox Broadcasting Company, sua estreia foi em 17 de dezembro de 1989 e foram exibidos 579 episódios. A série é uma paródia satírica que se inspira na vida de classe média dos Estados Unidos, vivendo na cidade fictícia de Springfield que satiriza a cultura norte americana.




Mas o desenho vai muito além que episódios engraçados e cômicos, Os segredos matemáticos dos Simpsons escrito por Simon Singh, mostra o desenho animado por outro ponto de vista, o desenho na maioria de seus episódios faz referências a formulas e gênios da matemática.

“O episódio tem início com uma cena em que Maggie está construindo uma torre com seus blocos de alfabeto, depois de colocar o sexto bloco no topo ela observa a pilha de letras. A menina de 1 ano que estará fadada a ter essa idade para sempre coça a cabeça, chupa a chupeta e admira sua criação.”
EMCSQU...
Como não podia representar um sinal de igual e não tinha blocos com números, isso é o mais perto que Maggie poderia chegar de homenagear a famosa equação de Einstein:
E = mc²


Narrado em terceira pessoa a leitura é simples, embora as formulas sejam confusas para quem não tem familiaridade. Mostra com humor as referências no desenho e por um lado educativo. Percebi que o desenho era muito mais que apenas episódios aleatórios e engraçados, uma família excêntrica que se mete em várias confusões. 



As terias descritas e as curiosidades dos personagens e referências é o que mais chama atenção no livro, que de forma descontraída revela-se uma leitura muito interessante e curiosa.  E nesse livro fala de coisas que eu ia morrer sem saber que existia.




Resenha "A Sereia"


Classificação

Informações do livro
Título: A Sereia
Autor/a: Kiera Cass
Editora: Seguinte 
Gênero: Romance Juvenil

Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, precisa usar sua voz para atrair as pessoas para se afogarem no mar. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo o que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar pois a voz da sereia é fatal , logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, Kahlen será obrigada a abandonar Akinli para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, ela está determinada a seguir seu coração.



Como fã da série “A Seleção”, me interessei de cara pelo novo lançamento de Kiera Cass. O livro, nem tão novo assim, já que foi o primeiro escrito pela autora, foi reescrito e reeditado, e conta com uma pequena carta da autora para os fãs brasileiros.

Kahlen, a protagonista, foi vítima de um naufrágio quando tinha 19 anos, mas foi salva pela Água. Em troca, ela deve dedicar sua vida e usar sua voz para afogar as pessoas durante cem anos, até que a Água a liberte para que volte a ter uma vida normal (detalhe: ela não se lembrará de nada). Kahlen é obediente e segue as regras durante oitenta longos anos, sem realmente se acostumar com a situação. Mas tudo muda quando ela se apaixona por Akinli e começa a questionar sua devoção e fica dividida entre seu coração e seu dever.


No início, me desanimei bastante com o enredo. A protagonista é bem interessante, mas não prende a atenção nem faz com que o leitor se apegue. Tentei manter em mente que era um livro de fantasia e que não tem como escrever um livro sobre sereias sem ser clichê, mas muitos aspectos me incomodaram bastante. A autora bateu demais na mesma tecla e perdeu vários pontos que poderiam ser bem mais explorados.


As “irmãs” de Kahlen também não me agradaram, e fiquei bem contrariada em várias partes por não concordar com o que era considerado o certo e errado na história (quem ler vai entender o que estou falando). Mesmo se tratando de uma ficção, acredito que os valores, de maneira geral, não podem ser deixados de lado, e estranhamente fiquei bem desanimada pela autora ignorar isso completamente. O que me agradou mais no livro foi Akinli, apesar de ter sido bem pouco explorado. A devoção pura, tanto da parte dele quanto da protagonista, foi bem interessante e acredito que foi o que me prendeu no final. Outro ponto que agrada é a narrativa leve da autora, que me fez ler bem rápido.


Kiera Cass é uma autora incrível, e a série “A Seleção” é a prova disso. Por esse ter sido o primeiro livro dela, não vou levar em conta quando for ler seus próximos volumes: não vejo a hora de ler “A Coroa”, lançamento deste mês da seguinte, quinto volume da série.

Alguém já leu “A Sereia”? Também gostam de “A Seleção”? Deixem nos comentários!
xoxo

Resenha "Uma história incomum sobre livros e magia"




Informações do livro
Título: Uma história incomum sobre livros e magia
Autor/a: Lisa Papademetriou
Editora: Arqueiro
Gênero: Fantasia/Juvenil
Livro enviado para resenha em parceria editora Arqueiro.


Duas meninas encontram um livro mágico e cada uma se vê envolvida numa história que parece ser contada sozinha.
Kai chega ao Texas para visitar sua tia-avó Lavinia – uma senhora extravagante, durona e fã de hip-hop. Do outro lado do mundo, no Paquistão, Leila deseja ser tratada como uma princesa pela família de seu pai e viver fortes emoções.
Elas só não fazem ideia de que seus mundos completamente diferentes estão prestes a se chocar graças a um enigmático livro em branco.
Quando Kai escreve no livro, suas palavras magicamente aparecem no exemplar de Leila. As meninas então percebem que O cadáver excêntrico reage a cada frase acrescentada – não importa se foi inspirada pelo ataque de um chihuahua ou por um mal-entendido com uma cabra – com um trecho da história de amor vivida por Ralph Flabbergast e Edwina Pickle mais de cinquenta anos antes.
Uma história incomum sobre livros e magia entrelaça essas três perspectivas – de Kai, Leila e Ralph – de uma forma divertida e emocionante. É uma narrativa mágica sobre o destino e os laços invisíveis que nos ligam uns aos outros.






Sabe aquele livro que une uma capa maravilhosa com uma boa história incomum? Esse é o livro!!! Depois de ler algumas resenhas falando da falta da exploração da autora na história, eu DISCORDO totalmente dessa análise, pois é isso que dá ao livro o encanto e a magia que a brincadeira “Cadáver excêntrico” faz com a imaginação das pessoas que lêem.

Tenham em mente que é um livro pequeno juvenil e muito bem trabalhado, unindo três histórias diferentes com um desfecho incrível. É uma leitura que pode ser feito por todas as idades e ainda brincar de criar histórias usando a criatividade e a imaginação.



A história conta com duas protagonistas Kai e Leila, elas não se conhecem e moram em cidades diferentes. Kai vai para o Texas morar com sua tia-avó Lavínia e Leia vai visitar seus parentes paternos no Paquistão, ambas estão tentando se adaptar à nova realidade, pessoas e ambiente. Kai amo tocar violino, tem uma referência forte de seu pai que morreu quando ainda era pequena. Leila tem uma família bem diferente, uma irmã mais nova super inteligente e centro das atenções, e agora resolve visitar a família do pai que é paquistanês, e percebe o quanto a cultura é diferente da sua vida como uma garota americana.

O que acontece com elas é algo bem curioso, em lugares totalmente diferentes, elas encontram um livro chamado O cadáver excêntrico, com páginas em branco, mas muito bonito e curioso, e que de forma mágica começa a aparecer nos lugares mais inusitados, a curiosidade é mais forte do que elas, e a instigam a escrever algo nessas páginas em branco, o que não esperavam era que tudo que elas escreviam nesse livro seria revelado para cada uma delas uma parte do que cada uma escrevia.



E nesse mistério ainda podemos acompanhar uma linda história de Ralph Flabbergast e Edwina Pickle de mais de cinquenta anos, que interagi com Kai e Leila despertando a curiosidade com os acontecimentos e fatos nem tão estranhos assim. Enquanto isso coisas curiosas vão acontecendo, Kai faz amizade com Doodle uma menina fascinada por mariposas, e Leila embarca na cultura do Paquistão conhecendo melhor seus parentes e vivendo dias emocionantes.

O livro é narrado em terceira pessoa, mas o mais legal é a forma de como o narrador interage com o leitor, conversando e desvendando uma história mágica, incomum e divertida. Conhecendo personagens secundários maravilhosos, e uma história paralela cheia de reviravoltas.



É uma leitura leve, diferente e emocionante, transporta o leitor para uma nova possibilidade de histórias mágicas, fantasiosas totalmente despretensiosa, para entender melhor esse livro, tente brincar em casa pegando uma folha pautada, e junto com um amigo, filho invente uma história, onde cada um escreve de forma diferente o rumo dos acontecimentos, mas ele somente verá a última frase escrita, ao final leia todo o enredo e se divirta com o resultado.


Lisa Papademetriou arrasou na escrita desse livro, se eu tinha criado expectativas com esse livro, posso dizer que ela foi superada em todos os sentidos, eu simplesmente amo livros que mexem com a imaginação. Nem tudo tem um por que, ele simplesmente tem que ser assim, e é dessa forma que a leitura desse livro se torna simples e inesquecível.

Vamos brincar e usar a imaginação!!!!



Lançamentos Arqueiro e Sextante Abril/2016


Oi amigos tudo bem!!!

Tem muitos lançamentos maravilhosos da Arqueiro e Sextante! Tem para todos os gostos sem mimimi.... Vamos conferir.

Like a Rory Gilmore: 3 livros de não-ficção

Livros de não-ficção começaram a tomar lugar na minha lista assim que entrei na faculdade. Fui adicionando tanto por obrigação, quanto por curiosidade, já que sempre preferi a boa a velha literatura. Ainda tenho resistência, mas devo dizer que foi muito bom introduzir esse gênero nas minhas leituras, já que só ele tem a capacidade de nos fazer pensar de forma mais profunda a realidade. Separei três livros que andei lendo recentemente, para que quem não tem esse costume se interesse:


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥