Resenha "Réquiem para um Assassino"





Classificação

Informações do livro
Título: Réquiem para um Assassino
Autor: Paulo Levy
Editora: Bússola
Gênero: Literatura Nacional/Policial e suspense
Livro enviado para resenha em parceria com Ed. Bússola.

Parecia uma manhã como outra qualquer na pequena Palmyra, uma cidade histórica no litoral do Rio de Janeiro. A caminho do trabalho, o delegado Joaquim Dornelas se espanta com um movimento incomum nas ruas. Diante da Igreja de Santa Teresa e da Antiga Cadeia, no Centro Histórico, uma multidão observa o corpo de um homem atolado na lama seca do canal. Ninguém sabe como o corpo foi parar lá. Não há sinais de arrasto, marcas de barco, violência, ferimentos, nada. Apenas um band-aid na dobra interna do braço esquerdo. Abandonado pela mulher e longe dos filhos, o delegado Dornelas, um tipo humano, amante de cachaça e de mingau de farinha láctea, se envolve de corpo e alma no caso em busca de salvação. Sem aviso, a irmã do morto e um vereador poderoso aparecem para dar informações importantes sobre o que se tornaria um caso de dimensões bem maiores do que Dornelas poderia imaginar. Aos poucos se revela uma complexa teia de interesses envolvendo a política, o tráfico de drogas, a prostituição e a comunidade local de pescadores. A intuição aguçada, a cultura e o conhecimento das forças que movem a natureza humana permitem ao delegado Joaquim Dornelas se mover habilmente pelo emaranhado de fatos e versões que a trama apresenta. O que a princípio seria mais uma investigação na sua carreira, se torna para o delegado uma jornada de transformação pessoal.

Hoje começo a resenha diferente, Réquiem para um assassino é o primeiro livro sobre o delegado Joaquim Dornelas, neste livro esclarece a vida pessoal e profissional e como ele lida com o divórcio e ficar longe de seus filhos, o segundo livro já foi resenhado no blog que se chama Morte na Flip confira a resenha aqui.

Joaquim Dornelas delegado da cidade de Palmyra uma cidade história no litoral do Rio de Janeiro, começa uma nova vida, divorciado de sua mulher que não soube compreender a sua paixão pela profissão e longe de seus filhos ele se vê sozinho apenas com seu companheiro lupi, a cachaça e o goró ( uma mistura de farinha láctea e leite em pó).
Mas foi o seu trabalho que o manteve são e longe desses fantasmas que insistiam em persegui-lo a toda hora.

Caminhando pelas ruas das cidades como sempre costumava a fazer em direção a delegacia, ele se depara com uma pequena multidão que observava para baixo e muito curiosas, ele atravessa as pessoas na ânsia de se aproximar e averiguar o que estava acontecendo e se depara com um corpo de um homem atolado na lama seca no canal, estava ali o motivo pelo qual ele escolhera a sua profissão, e tratou logo de tomar as primeiras providencias para preservar o corpo e as possíveis provas no local do crime, retirando o cinto da calça ele enlaça o corpo pelo pulso direito e começa a puxa-lo em direção a margem.


Trecho página 9
Pisou na rua e iniciou sua caminhada diária para a delegacia.
Evitava pegar o carro; gostava de andar pela cidade, ver as pessoas, o movimento nas ruas. Fazia sempre o percurso mais longo, uma volta desnecessária. Dornelas considerava aquilo um esporte.

Com a repercussão do crime logo é batizado com um nome por toda a cidade "Crime do Mangue", e trata-se nada mais nada menos com de um acerto de contas, um traficante que ainda não tinha identificação, e ai ele recebe uma inesperada ligação de Nildo Borges vereador da cidade com informações sobre o morto, elas marcam um encontro para conversarem, na câmara de vereadores ele conhece Marina Rivera chefe de gabinete do vereador Nildo Borges e que chama muita atenção de Dornelas e aos poucos o desenrolar da histórias personagens são introduzidos e conectamos para concluir o desfecho.

O que mais gostei do livro foi a narrativa em que o autor Paulo Levy conduziu de forma muito simples, não somente focando no enredo da história, mas compartilhado com os leitores o dia a dia de Dornelas e sua vida pessoal, seu inicio de romance com Dulce, que evolui no outro livro, faz dele um homem mas feliz e realizado na profissão. 

O livro muito bem detalhado, diálogos entre os personagens bem distribuídos faz do livro uma ótima dica para o gênero Policial.

"Aos poucos se revela um complexa teia de interesses envolvendo a política, o tráfico de drogas, a prostituição e a comunidade local de pescadores. A intuição aguçada, a cultura e o conhecimento das forças que movem a natureza humana permitem ao delegado Dornelas avançar habilmente pelo emaranhado de fatos e versões que a trama apresenta. O que a principio seria mais uma investigação na sua carreira, se torna para o delegado uma jornada de transformação pessoal."
Paulo Levy





7 comentários

  1. jéssica b. rezende30 de setembro de 2013 10:33

    Oi Dani, tudo bem amiga? *o*
    Hum, sempre que leio resenhas desse livro fico passada de curiosidade. Não era muito fã desse género policial até ler Sangue na Neve. kkk Mas depois dele fiquei fascinada como é empolgante. Adorei sua resenha.
    E sua filha como esta? Espero que bem. :) Deus abençoe vocês.

    Beijos e boa semana.

    Jéssica - Ela e Seus Livros

    http://elaeseuslivros.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  2. Hey!

    O livro parece bom e a trama bem intrincada, mas não senti aquela compulsão a ler sabe? Sei lá, acho que não é meu tipo de livro mesmo.

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani, tudo bom?

    Louca para ler esse livro, mas com os Correios em Greve, ele está perdido em algum lugar no espaço sideral.

    Nos duas começamos com Morte na Flip né?

    kkkkkk

    Adorei o Dornelas!

    Beijos!

    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Danielle,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui no blog, achei interessante, gosto do gênero, vai para a listinha....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Mais um para minha listinha! :) \o/

    Já vi várias resenhas super bacanas, assim como a sua, em relação a esse livro.

    E eu quero eleeeeeee!!!

    Beijos!

    Café com Leituras!

    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi dani,

    não conhecia essa história e nem o autor. Gosto muito de histórias policiais, de suspense, e sempre procuro novas indicações. A sua já está anotadíssima, ainda mais depois de ver o comentário da Isabela, para reforçar sua opinião.

    Beijos.

    Cila- Leitora Voraz

    Depois confere a resenha de Híbrida:

    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/2013/09/resenha-do-livro-hibrida-neblina-e.html

    ResponderExcluir
  7. Adoro esse livro! O Paulo escreve super bem e a história é muito envolvente. Vale a pena ler... Abraços, Isabela.

    ResponderExcluir

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥