Resenha "Terras Metálicas"




Classificação
Título: "Terras Metálicas"
Autores: Renato Nonato
Editora:Novo Século
Gênero: Literatura Nacional/Distópico
ISBN:9788576797968
Páginas:616
Livro enviado pelo autor para resenha.


Olá amigos tudo bem, o livro Terras Metálicas tem um histórico bem interessante, não o livro em si, mas a rota dele para chegar até a mim. Renato Nonato é nosso parceiro no LJI e enviou o livro em setembro do ano passado, depois de um mês e nada do livro, ele descobriu que havia sido extraviado. Com toda a paciência do mundo ele enviou novamente em novembro o ele chegou somente em janeiro de 2014, é amigos o livro viajou muito até chegar aqui. Porém a leitura dele foi adiada devida a programação que já tinha com outros livros de editoras e autores, portanto a leitura foi feita em junho e venho compartilhar com todos vocês!


Raquel Onero vive em lugar chamado a Esfera, ela e seus amigos Tales Jordão, Camila Campos e Ângelo dos Santos são recém formados da Academia. O único lugar que eles conhecem é a Esfera já que o mundo desde a última guerra foi devastado por uma massa nuclear e para a humanidade para esperança de sobrevivência foi criado uma forma de vida artificial designada Terras Metálicas.


Habilidade Túneis

Possuem a capacidade de mover objetos a distância por meio do fenômeno de tunelamento. Nele o usuário pode criar um campo metafísico por onde um membro fantasma é capaz de trafegar, criando uma ponte capaz de conectar o usuário ao objeto.









Nesse novo futuro essas pessoas evoluem desenvolvendo tecnologias sustentáveis e mantendo a paz e controle pela escala maior A Elite. Curiosamente todos os habitantes da a Esfera quando estão no período de formatura, passam pela cerimônia de implantes, habilidade que é testada através da medula do implantado e que designa sua nova condição, são elas: Túneis, bios, Sibérios, Antenas e Exilados e isso se faz necessário para manter a vida dentro da Esfera.

Habilidades Bios

Interagem com o próprio corpo podendo incrementar sentidos, força, velocidade e percepção. É a habilidade mais complicada para iniciantes, tanto pela complexidade do corpo humano quanto pelo alvo da mentalização ser o próprio usuário.









Raquel sonha em se tornar uma Túnel assim como seus pais, ela tem um pequeno robô de inteligência artificial chamado Tashi seu mascote que sempre a acompanha, mas seu passatempo favorito que passa com os amigos é Saturno um parque onde Raquel pode simular vôos enquanto ainda não adquire essa habilidade dos Túneis.

Habilidade Sibério

Interagem com o próprio corpo podendo incrementar sentidos, força, velocidade e percepção. É a habilidade mais complicada para iniciantes, tanto pela complexidade do corpo humano quanto pelo alvo da mentalização ser o próprio usuário.









Mas ela e seus amigos descobrem um terrível segredo que colocará em risco tudo e todos, fazendo seus dias simples de jogos para uma ação de sobrevivência contra o tempo, o IA que é responsável por todo armazenamento de vida da Esfera está com seus dias contados. E ela e seus amigos não medirão esforços para impedir que isso aconteça, mesmo que isso tenho que arriscar a própria vida.

Habilidade Antenas

Interagem com a própria mente e com as mentes ao redor, podendo ler e induzir pensamentos. Muitos debates éticos já ocorreram na Esfera devido aos poderes dos Antenas, mas como são pouquíssimos os que adquirem a habilidade o debate nunca foi aprofundado.









Nesse livro encontramos uma história de gênero distópico muito bem ambientado e interessante, a ideia de todos os habitantes desenvolverem um poder peculiar é um diferencial nesse livro, Raquel a personagem central apesar de todas as aventuras e atitudes que se envolve tem apenas 13 anos de idade, fator que me causou certa estranheza na leitura, pois as atitudes eram bem mais condizente com uma pessoa de mais idade.

De personalidade forte e impulsiva ela carrega seus amigos para tentar descobrir uma solução de manter a Esfera viva, passando por acidentes de riscos de morte. Ainda em fase de desenvolvimento de sua habilidade permite que ela tenha mais controle sobre si e colocar sua missão em prática. Seus amigos Camila, Tales e Ângelo, apesar de sempre acatar as decisões de Raquel, são mais sensatos, mas também se preocupa com o futuro que está ameaçado.


Exilados
Não possuem uma resposta para o chip, de modo que não possuem habilidades. Exilados tendem a trabalhar em áreas reservadas próximos ao mainframe, quando tem capacidade para tanto, quando não, permanecem na Academia ou acabam arcando com profissões menos nobres.








Um fato que me desagradou na leitura foi excesso de detalhes em algumas partes do livro, o que se tornou a leitura um pouco arrastada, eu entendo o ponto de vista do autor, por que conhecemos a fundo todo o dia a dia de Raquel e seus amigos, seus pequenos deslizes contados de bom humor da uma pitada a mais na leitura e isso eu adorei.

Tirando essa primeira impressão Terras Metálicas é sem dúvida um livro de gênero distópico muito bem elaborado, o livro da vida a cada coisa que lemos, o final é de deixar a gente pensando o que virá mais para frente, o que esperar do futuro da Esfera, se eles realmente vão conseguir superar essa difícil missão. Renato transforma a literatura nacional nesse gênero distópico uma história digna de produção cinematográfica.

Acompanhem Terras Metálicas visitando o site aqui e curtindo a fanpage aqui.



5 comentários

  1. Esse livro parece ser bem interessante...
    Tenho vontade de ler...
    Beijos
    http://amandastale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi :)

    Recebi esse livro do autor a alguns meses e ainda não li por falta de tempo, mas estou encaixando-o em minhas próximas leituras. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Dani,

    Apesar de eu estar em um período de leituras distópicas, não sei se leria esse livro. Quem sabe um dia.


    Bjks

    Patty Santos
    Blog Coração de Tinta

    ResponderExcluir
  4. Aline Gonçalves8 de junho de 2014 17:01

    Oi Dani, tudo bom?

    Eu sou uma super fã de distopias e quero ler Terras Metálicas em breve para conhecer um autor nacional do gênero. Obviamente eu queria ser uma das Antenas...hehehehe
    Realmente o excesso de detalhes pode deixar um livro cansativo.
    Beijos!

    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Dani tudo bom? Esse livro é bem denso, com muitos detalhes mesmo, mas tudo indica que o próximo vai ser um pouco diferente. Gostei do livro e quero ler logo a continuação.

    Abraço,
    Diego de França

    Aguardo sua visita ;-)
    Leitor Sagaz | Grupo Amantes da Literatura no Facebook

    ResponderExcluir

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥