Resenha "A lista de Brett"


Classificação



Título: "A lista de Brett"
Autor: Lori Nelson Spielman
Editora: Verus
Gênero: Literatura Estrangeira/ Romance
ISBN: 9788576862390
Páginas: 364
Livro enviado pela editora para resenha em parceria com LJI.


Oi amigos tudo bem, estou um pouco sumida né, bom esse semana tirando a ressaca da Bienal, foi à semana de provas dos meus filhotes, onde me dedico em estudar com eles e ficar de olho pra saber se tem alguma dúvida sobre conteúdo, tirando matemática que não é meu ponto forte, o resto eu me viro bem.

Na resenha de hoje, quero dizer que esse livro me emocionou muito, ele é simplesmente lindo e super, mega, ultra recomendo a vocês para lerem.

Brett Bohlinger dedica a sua mãe todo seu amor e carinho quando ela é diagnosticada com câncer no ovário, só nessa parte esse livro me matou, não sei se alguns sabem minha mãe teve câncer, mas felizmente ela se curou, e é uma fase sinistra, então todos os medos e inseguranças narradas no livro foi fácil senti-los.

Sua mãe falece deixando Brett totalmente sem chão, e seus irmão Joad e Jay desolados, no almoço do funeral é nítido que Brett é a que mais sobre com tudo isso, foi ela que dedicou todas as suas horas para manter sua mãe Elizabeht confortável e amada. 

Sua mãe teve uma vida bem sucedida nos negócios, junto com Catherine elas fizeram crescer a emprese de cosméticos Bohlinger, acumulando um patrimônio riquíssimo que logo seria dividido entre os irmãos. Ela tinha em mente que assumira a presidência da empresa, dedicou-se a aprender tudo sobre administração e cada detalhe particular para encarar esse novo desafio com Catherine sua cunhada e braço direito, ela ocupava um cargo de marketing na empresa.

Quando o dia chega todos da família se encaminham para o escritório do advogado que foi designado para ser o testamenteiro do espólio de Elizabeth, todos notaram que ele era muito jovem para esse feito e ficaram se perguntando por que não havia solicitado seu testamento ao advogado da família a tantos anos, e é ai que começa a jornada de Brett.

Ele se apresenta como Brad Midar, após esclarecer como conheceu Elizabeth e todos estarem de acordo mesmo ainda surpresos, ele começa a pronunciar as últimas vontades como ajudar suas instituições de caridade, ela deixa a seus irmãos uma boa quantia em dinheiro, deixa detalhes explícitos sobre o uso da residencia colocando uma clausula onde não seria permitido vende-la em menos de 1 ano e nada de dentro poderia ser removido, e ninguém poderia permanecer mais que 30 dias consecutivos nela.

Brett se prepara para a sua vez esperando que a empresa Comesticos Bohlinger finalmente passaria para seu domínio, mas ela é pega de surpresa quando Brad pronuncia o nome da sua cunhada Catherine Humphries Bohlinger como dona das ações e também presidente da empresa, para o choque de todos e constrangimento de Brett ela perde o chão inconformada com a decisão de sua mãe, a quem ela cuidou com tanto carinho e devoção, não que ela esperasse o dinheiro, mas sim o reconhecimento de liderar a empresa.

Após todo o constrangimento, e o pedido que somente Brett permaneça na sala, ela fica pensando do por que foi a única a não receber nada de sua mãe, Brad ao se encontrar a sós com Brett explica que Elizabeth pensou em algo diferente para ela. Brad entrega para ela a sua lista de sonhos que sua mãe havia resgatado quando Brett tinha apenas 14 anos, e nela continha metas que ela mesma determinou e que um dia seria realizado. Ao ler ela percebe logo de cara que ela não é mais aquela adolescente, e que sua mãe mesmo depois de seu falecimento insisti em dizer que são realizáveis, e que ela somente recebera a herança se completar a lista dentro de 1 ano.

A lista de Brett

E cada meta realizada seria dado um envelope com conteúdo desconhecido, mas que diz respeito a cada sonho que Brett deveria realizar, em um deles sua mãe é bem categórica em dizer que os negócios não faziam a cara dela, e que a pessoa mais indicada era sua cunhada que batalhou para conquistar esse lugar.
As cartas eram em si um bate-papo póstumas entre elas duas, quando um questionamento surgia, a sua mãe logo respondia pela carta, deixando Brett surpreendida.

"Ela sempre teve sexto sentido. Quando algo incomodava, eu não precisava falar pra ela. Ela falava comigo. E, quando eu tentava convence-la do contrario, ela olhava para mim e dizia: "Brett, você está esquecendo que fui eu quem fez você. Sou a única pessoa no mundo que você não consegue enganar".
Andrew seu namorado há quatro anos, era o típico cara egoísta, que se preocupava somente com status, Brett depois da notícia sobre a herança, adia contar a verdade por medo de perdê-lo, eles moravam em um loft que era dele no papel, mas que Brett havia investido muito na compra de todo os móveis e utensílios. Ele até cogita em pedir a ela uma vaga na empresa como advogada, mas ela nega, pois na época em que sua mae era viva já havia negado seu pedido. E mesmo depois de saber a nova condição de Brett ele movido ao interesse de prontifica a ajudar, mas é nítido o interesse por trás da fachada de bom namorado preocupado, e logo mais ela tem uma surpresa que a fará tomar uma decisão decisiva.

Nesse livro encontramos o mais puro sentimento entre mãe e filha, que mesmo depois de falecida ela ajuda a Brett a se encontrar, mesmo diante de cada obstáculo que ela passa no livro, eu tive vontade d matar a mãe dela mais uma vez (risos), tudo tinha uma razão de ser, Brett se tornou uma pessoa sensível demais, que fazia de tudo para agradar, até mesmo seu pai já falecido Charles que nunca havia demonstrado carinho por ela, acaba sendo um fantasma em sua vida.

"Certa vez minha mãe me disse que eu era exatamente como ele quando criança. (sobrinho de Brett)
Então eu me pergunto para onde vai esse tipo de alegria. Talvez para o mesmo lugar que a confiança da juventude."

Esse livro é apaixonante em cada página, a cada descoberta sobre ela mesma Brett recebe de Brad as cartas deixada para cada sonho, e nelas sempre palavras sinceras e perfeitamente de acordo com ela estava passando. Superando seus medos, seus bloqueios, Brett se vê de outra forma, a verdadeira pessoa que ela era realmente, e no meio disso tudo ela ainda tinha que se apaixonar, e dois fofos quer dizer três entram na parada, mas somente um fará o coração de Brett balançar.

"Eleonor Roosevelt certa vez disse: Todos os dias faça algo de que você tenha medo". Continue se obrigando a fazer coisas que lhe dão medo, querida. Assuma riscos e veja onde você aterrissa, pois são ele que fazem a jornada valer a pena.

Primeiro livro do ano que me fez romper em lágrimas, é lindo, sincero, triste, alegre, gostoso, amoroso, um livro que te conquista, que faz a gente refletir em casa decisão de nossas vidas, sobre amor incondicional, perdas, descobertas, falhas entre outros obstáculos que nós mesmo no dia-a-dia passamos.

A autora me conquistou pela narrativa em primeira pessoa, com detalhes sutis, a personagem Brett foi me conquisto a medida de cada vitória e determinação, Elizabeth com toda sua sabedoria a leva para uma nova vida, desprendida e simples. Leiam esse livro vocês vão se apaixonar como eu fiquei, esse é um livro de releitura com certeza. 




Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥