Resenha "Sete dias sem fim"


Classificação

Título: Sete dias sem fim
Autora: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
Gênero: Literatura Internacional/Drama
Livro enviado para resenha em parceria Ed.Arqueiro.
Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer.
Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica. Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura.
Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor. Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem quer gostemos ou não.

Oi amigos tudo bem com vocês, a primeira resenha de novembro é um livro que li em outubro, e foi bem interessante, fiquei com vontade de assistir ao filme para identificar cada personagem.

Para definir esse livro vou usar algumas frases:

"Seria cômico, senão fosse trágico"

Essa frase define a família foco do livro, uma família excêntrica e totalmente às avessas, os Foxman que mesmo passando pelo luto quando o patriarca da família falece depois de sofrer com câncer no duodeno eles conseguem fazer disso uma tremenda confusão.

"A vida é uma tragédia quando vista de perto, mas uma comédia quando vista de longe" Charles Chaplin


Judd Foxman, é o personagem principal e o que mais tem a dizer sobre sofrimento, é cômico como ele descreve a traição sofrida por ele, os detalhes que ele narra ao ver sua mulher na cama com outro homem.

"Quando tudo está ruim não reclame, pois pode piorar" 

Pois é amigos, essa frase define quando Judd repara que o homem que está transando com a sua mulher é seu chefe, resumindo sem emprego e sem mulher numa tacada só e ainda tendo que enfrentar o luto do seu pai, seu ultimo pedido que a família cumprisse o luto de 7 dias de acordo com os preceitos da religião judaica "Shivá".

Tropper desenrola o que uma família é capaz de fazer quando unidas durante 7 dias, onde as diferenças de cada um é gritante. Sua irmã Wendy é casada com Barry um workaholic chato que não da atenção devida  sua família, seus filhos Ryan de 6 anos, Cole de 3 anos e Serena de 7 meses são uns "anjinhos".

Wendy tem um humor ácido e não mede palavras quando precisa criticar alguém, não manda recado ela fala mesmo, e sua sinceridade é vista como falta de respeito... Sei bem como é isso, enfim.

Paul é o irmão mais velho, aquele que cuida dos negócios da família, se sente responsável por tudo e tem uma mulher Alice que já foi namorada de Judd na juventude, mas hoje seu maior objetivo é ter um filho, por isso a todo momento ela arruma a desculpa que está ovulando para fazer que Paul venha para casa e cumprir o seu papel.

Phillip é o caçula incompreendido que vive a vida a sua maneira, sempre trazendo novidades a família quando se mete em alguma encrenca, de todos parece o mais resolvido na questão sexual já que todas as mulheres que ele conhece ele literalmente caia em cima, mas nesse Shivá ele aparece com Tracy sua terapeuta, dizendo estar noivo e que sua vida mudou. E para perplexidade da família a idade de Tracy acaba sendo motivo de piadas de mal gosto entre eles.

Sua mãe Hilary é psicóloga, conhecida por escrever um livro Do berço a tudo: um guia para criação dos filhos, ela tem uma personalidade forte, diz o que pensa, mantém a forma e achei super digno ele ser representada no filme pela atriz Jane Fonda por que tem tudo haver! Mas ela esconde um segredo que no final deixara a família Foxman de queixo caído...

E assim começa o Shivá, no ritual eles são obrigados a ficar em uma cadeira especial recebendo os convidados que vem prestar a solidariedade pela perda do Morton Foxman a quem todos demonstram solidariedade e enfatizam o quanto ele foi um bom marido e um bom pai.

O livro tem momentos de leitura arrastada, pois em algumas partes Judd divaga demais sobre sua vida, valorizando nos mínimos detalhes o seu sofrimento, sua mulher Jen a todo momento o coloca em situações desagradáveis fazendo ele se sentir como a mosca do cocô do cavalo do bandido.

A personalidade indecisa de Judd me deixou irritada, poxa ele acaba de ser traído e mesmo assim fica no mundo na lua, sem tomar qualquer atitude mais forte, nem mesmo Rose uma antiga amiga da juventude a quem ele sempre teve uma queda foi capaz de demove-lo desse marasmo da traição. Recado para você Judd: Vida que segue cara... (risos)

E em outros momentos é impossível não rir com os acontecimentos inesperados que fazem do luto uma prova de resistência das grandes, por que pensando bem qual seria a finalidade do desejo do pai de sua família cumprir o luto sendo que ele mesmo não tinha tanta atenção para os preceitos religiosos judaicos.... Ai tem...


É um livro carregado de emoções, com personagens sarcásticos e momentos surreais, tirando os momentos de leitura arrastada, digo que esse livro tem um lado bem interessante, o modo como lidados com a nossa família, ou parentes distantes em momentos de perda.


"Pimenta no olhos dos outros é refresco"

Tropper combina drama e humor na medida certa, deixando o livro agradável mesmo diante de tantos fatos que em apenas 7 dias se revelam na família Foxman! Quero muito ver esse filme para visualizar cada personagem e suas personalidades distintas que compõe essa família maluca, mas já percebi que o roteiro é um pouco diferente. O final me deixou um pouco intrigada, eu esperava um desfecho mais fechado com relação ao personagem Judd, mas assim são as pessoas né, sempre mudando e dançando conforme a música.


A diagramação é ótima, o livro é dividido nos dias em que se passa o luto e achei bem interessante e a capa do livro foi uma sacada super legal, por que cá entre nós prefiro essa com o elenco do filme.

Trailer






5 comentários

  1. Ei, Dani, tudo bem?


    Ah, não curto livro com leitura arrastada porque, muitas vezes acabo ficando sem paciência de continuar na leitura. Por isso não sei se eu leria esse livro =( A história também não me chamou a ateção


    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Dani, tudo bem?

    Esse livro parece ser, em minha visão, tão sem graça. Eu leio a sinopse, li a sua resenha positiva, mas mesmo assim não consegui me interessar por ele. Não leria. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani, tudo bem?

    Menina, livro com capa de filme é uó! Eu detesto!!!
    Mas achei a história bem bacana e, como tenho zilhões de livros para ler, esse eu vou aproveitar a dica e ver o filme apenas!

    Beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oiee

    Quando vi a sinopse do livro me interessou muito porque o trailer do filme é super engraçado mas agora não sei se leria o livro, leitura arrastada para mim é horrível e enfim vou esperar para ver o filme primeiro.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Dani, tudo bom?

    A narrativa possui uma temática bem familiar com a resolução de vários problemas familiares sendo resolvidos ao mesmo tempo. Acredito que esse seja o motivo da história ter partes mais arrastadas. Não seria uma leitura prioritária, mas eu daria uma oportunidade.

    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥