Resenha "Um momento, uma manhã"


Classificação


Informações do livro
Titulo: Um momento, uma manhã
Autor/a: Sarah Rayner
Editora: Fundamento Selo Onyria
Gênero: Drama
Livro enviado para resenha em parceria editora Fundamento.


Oi amigos tudo bem!?


Nesse livro vamos encontrar uma história profundamente dolorosa, onde três mulheres se unem de forma inusitada, e juntas no decorrer do dia a dia vão em busca de um novo sentido para a vida.
Karen é casada com Simon, há 20 anos, essa união rendeu dois frutos Luke de 5 anos de idade e Molly de 3 anos, a convivência deles era de extrema cumplicidade e amor. 
Uma união mais do que estável, eles se amavam verdadeiramente.

Ana é uma pessoa determinada, trabalha como freelance em uma redação, e mora com Steve há 4 anos, o relacionamento dos dois era relativamente boa, a não ser pelo fato dele beber e voltar bêbedo para casa e agredir ela verbalmente.

Lou, é uma pessoa que por trás de toda sua postura séria como terapeuta é uma pessoa que esconde um segredo, sua mãe uma pessoa extremamente difícil era uns do motivo que ela se mantinha sempre na defensiva.

O que essas mulheres têm em comum?

Um dia qualquer no trem das 7:44 em direção a estação Vitória, um casal era observado por uma pessoa onde analisa seus gestos e o modo como o carinho era evidente naquela cena, mas esse momento é interrompido bruscamente quando o homem passa mal sofrendo um ataque cardíaco fulminante. 

Nesse mesmo trem outra pessoa questiona o motivo de tanta movimentação, e com medo de se atrasar para o trabalho começa a especular o que houve no trem, que fez com que a viagem fosse interrompida fazendo todos os passageiros saírem.
É nesse momento que Ana, Lou e Karen tem seus destinos entrelaçados, infelizmente por circunstâncias triste e complicada. 
Ana ao sair do trem pega um taxi para tentar chegar ao seu destino, e por coincidência Lou entra com ela no carro pela outra porta, resolvendo o equívoco elas decidem rachar a corrida.

Após as apresentações Ana fica sabendo que um passageiro morreu de ataque cardíaco sem que houvesse qualquer coisa para interceder por ele, e que ela estava lá e ajudou a mulher a chamar os seguranças. Ana se sente mal ao saber, devido ao seu julgamento precipitado e preconceituoso. 

Quando Ana chega no seu destino, ela recebe a ligação de Karen sua melhor amiga, e o choque percorre seu corpo ao saber que o casal que estava no trem, eram seus amigos.

Destino? Coincidência? Fatalidade? Infelicidade?

São sentimentos que vão passar na cabeça de Ana, Lou e Karen, e no decorrer dessa história que se passa durante os dias que antecede ao enterro de Simon, elas vão descobrir que a vida continua mesmo diante de tanto sofrimento e perdas. O sofrimento de Ana é palpável, a jornada dela com seus filhos sem Simon será complicada, mas ela deve manter a força por eles acima de tudo.

“De muitas formas, é um dia como milhares de outros. Mas, à medida que caminha, vai se conscientizando cada vez mais de que hoje é diferente, é o primeiro dia da sua vida completamente sem Simon. Ele está sepultado, se foi. ”

Sarah nos traz uma história que mostra o poder da resiliência, no decorrer de uma semana dividida em horas, vamos conhecer cada uma dessas mulheres, cada capítulo ela intercala a narrativa dessas três personagens, de forma simples e muito inteligente onde elas relembram fatos de suas vidas e quanto eles impactam no presente. São acontecimentos simultâneos, que mostram o dia a dia de seus relacionamentos, e de como esse trágico acidente vai mudar o rumo da vida de cada uma.

É um livro que emociona, que tira lágrimas numa simples frase, é impossível não simpatizar com Ana, Lou e Karen, apesar de todo sofrimento, elas são pessoas cativantes a seu modo. Ana ajuda a sua melhor amiga a superar essa fase dolorosa, quando ela mesmo não sabe o que fazer, e Lou com sua própria vida e rodeadas de acontecimentos isolados, tenta se aceitar e se revela para sua família.

Sem delongas, esse livro é lindíssimo, e nos traz uma mensagem muito forte, sobre relacionamentos, amizade, vício, preconceito, ajuda ao próximo e superação. É um livro que deixa suas emoções a flor da pele, reparem pelo quote acima.

A escrita da autora é fluida e sincera, não é aquele drama forçado. Ela nos traz uma realidade nua e crua da perda, mas traz um final simples, mas vibrante.
A ambientação na Inglaterra é um ponto forte na trama, com detalhes sutis que colabora mais ainda para que a leitura seja envolvente. Eu recomendo esse livro de olhos fechados.






Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥