Resenha "Eva"


Classificação



Informações do livro
Título: Eva
Autor/a: William P. Young
Editora: Arqueio
Gênero: Literatura Internacional/ Romance 
Livro enviado para resenha em parceria Editora Arqueiro.

Num suspense emocionante, William P. Young, autor de A cabana (4,5 milhões de exemplares vendidos no Brasil) faz em seu novo livro uma abordagem totalmente nova e inspiradora da história da Criação.
Fruto de mais de 40 anos de pesquisas, fiel aos textos bíblicos originais e com uma narrativa primorosa, Eva apresenta um ponto de vista humano e reconfortante de um dos episódios mais tristes das Escrituras: o momento em que o homem vira a face para Deus e é expulso do Paraíso.
Com sua capacidade única de emocionar e fazer refletir, o autor trata de temas como perda, culpa, perdão e redenção, e cria uma alegoria sobre a importância de nossas escolhas, a verdade de nossas origens e o poder transformador do amor de Deus.

Oi amigos!

William P. Young usa mais uma vez a sua sensibilidade para retratar uma história de drama e de superação, após anos de estudo, pesquisas ele nos traz o romance Eva, confrontando diversas passagens bíblicas que conta a história do início de tudo, a criação de Adão e Eva, o Éden, e o mundo.

John vive em uma dimensão diferente da terra, e recebe a visita de Eva a mãe de todos os seres humanos, essa visita lhe traz uma mensagem bastante intrigante, onde ele seria o guardião de uma das filhas de Eva, essa menina marcaria o início do fim.
Diante desse cenário conhecemos Lilly, uma adolescente que é resgatada de um contêiner com diversos corpos de meninas que haviam sido mortas. Quem descobre o corpo de Lilly é John que se designa catalogador do refúgio, mas o que ele não esperava era que mesmo diante da situação que o corpo estava isento de qualquer possibilidade de sobrevivência, ela estava viva, mas seu estado era gravíssimo e requer cuidados urgentes. Sua presença diária ao lado dessa menina vai ser fortalecendo, e com o tempo sua recuperação vai evoluindo.

Ela recebe a visita de três sábios, Anita, Gerald e Simon, que vieram pessoalmente para comprovar se Lilly é realmente a testemunha. Mas testemunha do que?
Do início de tudo! É aí que entra a história de Adão e Eva, e toda sua criação, principalmente a decisão de sair do Éden após virar a face para Deus. Dentro desse cenário Lilly está totalmente confusa, ausente em suas lembranças e tentando se recuperar, sua comunicação com John não passa de respostas feitas com piscadas de olhos, e que logo mais evoluiu para uma conversar mais civilizada. Lilly sabe que está em um refúgio se recuperando de um trágico acidente que foi resgatada.

Mas em todas as suas ausências de consciência ela estava na presença de Eva, que guiava a sua jornada na história do início do mundo, ela tinha muitas dúvidas, muitos questionamentos, e uma missão importante de testemunhar tudo que havia acontecido a milhares de anos. A busca pela verdade e autoconhecimento, aceitação são pontos destacados com grande importância no decorrer do livro, e assim participamos da evolução do espirito de Lilly, a todo o momento ela é acompanhada por pessoas como John, Letty, Simon, Anita e Gerald, que são presenças importantes na busca das suas memórias, da recuperação e o mais importante e missão espiritual em que ela se encontrava.

"O Senhor me amaria... começou a falar Adão depois de um longo silencio - mesmo que eu carregasse a escuridão dentro de mim?
Meu amor nunca será condicionado por nada, nem pela escuridão nem por qualquer coisa que possa haver em você - respondeu Adonai, apertando a mão do filho. Eu sei quem você é de verdade."

Pode parecer confuso o inicio do livro, o cenário real em que Lilly se encontra é um mistério, mas no decorrer do livro a história se revela e mostra a natureza de toda a espiritualidade do ser humano. William Young aponta no livro questões muito reflexivas e questiona a fé em Deus.

Aborda assuntos como drogas, prostituição e a maldade humana para com seu semelhante, para quem não conhece a história de Adão e Eva como eu, foi uma surpresa grande, pois a minha curiosidade de confrontar as informações foi algo bem interessante. Essa leitura mexe muito com as questões de relacionamento entre as pessoas, do amor, resignação, resiliência, a própria maldade do ser no próprio coração.

O livro conta com um final surpreendente, simples e inesperado, onde ao fechar o livro você ainda tem a sensação de que a leitura continua, digo isso por que ele aborda situação reais em que vivemos, a perda da fé, o afastamento de Deus, a dúvida que que realmente estamos sendo protegidos, de que somos lembrados dos coisas ruins acontecem em nossas vidas.

Esse livro não é uma leitura qualquer, é um livro maduro, onde nos transporta para dentro dos nossos sentimentos, das escolhas que fazemos, e da esperança que podemos encontrar diante dos mais variados problemas.

"Se eu lhe der as costas, o Senhor dará as costas a mim?
Não meu filho, Você nunca será abandonado ou renegado.

Mais uma vez a William nesse livro traz um livro que fala da espiritualidade e a capacidade de se conectar com Deus, ele mostra a capacidade de mudar as coisas diante da fé, esse livro é simples por que ele fala de forma universal sobre amor e esperança, foi um livro que mexeu com meus sentimentos, não é uma leitura fácil de fazer sem se questionar sobre nossas atitudes no decorrer da vida. Recomendo muito a leitura desse livro, já tinha me identificado quando li A cabana em 2009, e pretendo ler para resenhar no LJI em breve.


Outros livros de William P. Young.

  

Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥