Resenha "Em algum lugar nas estrelas"


Classificação



Informações do livro
Titulo: Em algum lugar nas estrelas
Autor/a: Clare Vanderpool
Editora: Darkside Books
Gênero: Literatura Internacional/Fantasia
Livro enviado para resenha em parceria Darkside Books.



EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai... bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine (o mesmo estado onde vivem Stephen King e boa parte de seus personagens). O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden.
Early, um nome que poderia ser traduzido como precoce, é uma descrição muito adequada para um prodígio como ele, que decifra casas decimais do número Pi como se lesse uma odisseia. Mas, por trás de sua genialidade, há uma enorme dificuldade de se relacionar com o mundo e de lidar com seus sentimentos e com as pessoas ao seu redor.
Obsessivo, Early Auden tem regras específicas sobre que músicas deve ouvir em cada dia da semana: Louis Armstrong às segundas; Sinatra às quartas; Glenn Miller às sextas; Mozart aos domingos e Billie Holiday sempre que estiver chovendo. Seu comportamento é um dos muitos indícios da síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo que só seria descoberta muito tempo depois da Segunda Guerra, e que inspirou personagens já clássicos como o Sr. Spock (Star Trek), o Dr. House e Sheldon Cooper (The Big Bang Theory).
Quando chegam as festas de fim de ano, a escola fica vazia. Todos os alunos voltam paracasa, para celebrar com suas famílias. Todos, menos Jack e Early. Os dois aproveitam a solidão involuntária e partem em uma jornada ao encontro do lendário Urso Apalache. Nessa grande aventura, vão encontrar piratas, seres fantásticos e até, quem sabe, uma maneira de trazer os mortos de volta ainda que talvez do que Jack mais precise seja aprender a deixá-los em paz.
EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é uma daquelas grandes histórias que permanecem com você por muito tempo, perfeita para ler entre amigos ou passar de pai para filho. Tudo que é real pode ser uma grande fantasia ou uma coincidência inevitável. Somos muito mais que um simples desejo do acaso. Nossos caminhos vão se cruzar no primeiro semestre de 2016 nesta obra premiada com o Printz Honow Award em 2016, indicada a outra dezena de prêmios e eleita o livro do ano em dezenas de listas preparadas pelos leitores.

Em algum lugar nas estrelas tem um cenário da década de 40 no período da Segunda Guerra Mundial, um clima tenso e de muitas perdas entre as famílias e a incerteza da volta dos heróis de Guerra. Jack Baker é o nosso narrador dessa linda história de fantasia e descobertas, ele é um menino de 13 anos que não tinha muitos amigos, adorava ler National Geographic Society e morava com sua mãe no Kansas, esperando que um dia seu pai Capitão Jonh Baker Jr retornaria da Guerra e enfim pudessem ser uma família completa e feliz.

Seu pai retorna, porém em um momento muito delicado, Jack perde sua mãe repentinamente e no decorrer do livro sabemos o motivo, e esse retorno não é uma volta que ele ansiava, pois, a figura de seu pai era de uma pessoa estranha em sua vida, a pouca convivência não foi possível criar um laço maior para que pudessem superar essa perda. Logo depois ele se vê em um avião com seu pai ao seu lado, indo para um futuro totalmente incerto.

Maine será o seu novo lar, onde fica Colégio Interno Morton Hill exclusivos para garotos e que ficava mais próximo do Estaleiro Naval de Portsmouth onde seu pai ocupava um posto. Jack se depara com sua nova realidade, seu pai que mal conhece, sua postura austera e difícil de interagir não facilita a sua ansiedade e angustia, mas ele terá que superar de alguma forma. O diretor Conrady mostra as instalações do colégio e onde ele vai morar, fala como ele deve ser portar diante de seus colegas, e não esquece o lema dos fuzileiros Navais de Morton Hill: Sempre Fidelis – Sempre fiel.




Ele vai conhecendo o ambiente, os colegas e seus hábitos e repara que um aluno sempre está ausente na maioria das aulas, um fato que parece ser estranho somente para ele, já que ninguém parece se importar que ele não permanecesse em sala de aula. Seu nome era Early Auden, um menino que mudaria sua vida para sempre.

Aos poucos ele repara em Early e sua maneira estranha de convívio com os demais, ele era recluso e tinha um comportamento peculiar. Ele tem a prova de que ele é totalmente estranho depois de uma aula no lago, quando Jack tenta remar um barco sem o menor senso de direção.

“- Sua remada entorta. – Ele pegou uma lata de cera e tirou dela uma porção – Você é canhoto e puxa com mais força do lado esquerdo. Por isso a remada entorta. ”

Se ele achava que Early era estranho, ele comprovou isso quando suas falas e indagações eram colocadas em frases onde ele mesmo questionava e respondia de forma inteligente. E assim começa um convivo inusitado, Jack percebe que Early vive em seu mundo particular, onde os dias da semana tinha a música certa para tocar, onde suas balas de goma eram separadas por cores, e sua inteligência e informações era algo que surpreendia. E depois do fatídico dia em que o barco Sweet pie é destruído na tentativa de Jack mostrar que era um bom remador, eles reconstroem aos poucos cada parte dele, o conhecimento de Early é algo fenomenal. 



Quando chega as festas de fim de ano e ele percebe que ficará sozinho, pois seu pai sequer se importa com esse detalhe, todos saem do colégio para ficar com suas famílias, e ele nunca se sentiu mais sozinho em sua vida. Mas Early também está com ele, e propõe uma aventura totalmente inusitada, uma jornada em busca do lendário Urso do Apalache, no barco que Jack descobre ser de Fisher em grande campeão e herói de guerra, que ele logo descobre ser irmão de Early. 

É nesse momento que embarcamos em uma história com dois meninos solitários que não tem nada a perder, cada um com seu jeito de relacionar, percebemos que Early tem um tipo de autismo funcional (síndrome de Asperger), ao mesmo tempo que ele é extremamente inteligente para outras ele tem a inexperiência de uma criança, principalmente quando ele insiste que seu irmão ainda está vivo, e que a história de PI está relacionada com PI matemático representado pelo 3,14.
A narrativa é intercalada entre a narrativa de Jack Baker e a história que Early Auden conta sobre o PI. Ambos se agarram aos seus queridos familiares, Jack com a perda repentina de sua mãe, a quem ensinou a se guiar através das estrelas Ursa maior, e a promessa de irmão de Auden que promete voltar da guerra.

É uma narrativa cercada de fantasia, dois meninos que saem em busca de respostas sozinhos em um barco, topando com piratas, caçadores, uma aventura que os unem cada vez mais. Sabe aquela história inocente e cheia de representações que deixa o leitor reflexivo, Em algum lugar nas estrelas é uma história que marca completamente. 

É uma história infanto-juvenil que li e fiquei totalmente encantada, Early é um personagem que cativa de todas as formas, seu jeito ausente e inteligente transforma o fechado e introspectivo Jack. Que começa a ver a vida com outros olhos, que aprende a como lidar com o jeito diferente e excêntrico Early, levando a grandes descobertas e revelações.




Eu recomendo esse livro para todas as idades. É um livro doce, simples e apaixonante, com personagens cativantes como Gunnar um homem norueguês que mora na floresta e os salva de uma enrascada com o pirata Mcscott. É uma leitura diferente e representativa, por que diante da dificuldade dos dois de se relacionar, eles descobrem que tem muito em comum.


No final do livro a nota da autora ajuda o leitor a compreender alguns fatos que foram inseridos na história, as referências que são usados para deixar a história convidativa e maravilhosa. Em algum lugar nas estrelas, fala de esperança, amor, respeito, carinho e superação. Fala de perda de entes queridos e como lidar com a vida. Um livro que marca o leitor, e que fica com aquela sensação boa de uma linda amizade. 

E destaco mais uma vez, a edição maravilhosa que é esse livro, com ilustrações na contra capa, e no meio do livro, fazendo referencias as constelações, deixando o livro ainda mais maravilhoso, um ótimo presente, pode crer!!!




Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥