Resenha "A pequena guerreira"



Classificação



Informações do livro
Titulo: A pequena guerreira
Autor/a: Giuseppe Catozzella
Editora: Record
Gênero: Literatura Internacional/ Não ficção - Biografia
Livro enviado para resenha em parceria Grupo editorial Record.


“A Pequena Guerreira” é um romance baseado na vida de Samia Omar, a menina determinada a ser uma atleta de sucesso que cresceu numa Somália devastada pela guerra. Samia dormia com a foto do campeão olímpico Mo Farah ao seu lado, treinava arduamente apesar da violência e do preconceito que a rodeavam, e conseguiu, contra todas as expectativas, integrar a seleção somali de atletismo, além de participar das Olimpíadas de 2008 em Pequim. Um dia, com a família sob risco de ser irremediavelmente afetada pela guerra, sua irmã se vê forçada a fazer a perigosa viagem de barco para a Europa, como refugiada. Pouco tempo depois, Samia, temendo por sua segurança e por seus sonhos, resolve seguir os passos da irmã, e com isso coloca a própria vida nas mãos de traficantes de pessoas, demonstrando até onde alguém é capaz de ir por um sonho. A pequena guerreira é uma história inspiradora e tocante de guerra, família e esperança.


Oi amigos, tudo bem!

Ler esse livro foi um aprendizado, conhecer a história da pequena Samia Yusuf Omar abriu na minha mente uma reflexão sobre o que é mais importante para a vida. Esse livro é uma lição amarga, porém cheia de significados, onde Samia sabia o que queria desde pequena, ser uma atleta e correr o mais longe possível.

"Aabe perguntou se sabiámos que a guerra era fruto de um ódio que torna as pessoas cegas e as sacia apenas com sangue."



Ela nasceu na Somália um pais em guerra, cheio de ódio, privações e limitações, ela morava em uma casa pequena demais para sua família, seus pais e irmãos, que acima de tudo tinham com eles o carinho e o respeito entre eles. Seu pai Yusuf era seu grande incentivador, e acreditava que ela um dia se libertaria da opressão do país, e ser uma atleta vitoriosa.

Seu melhor amigo Alí, tinha um papel importante em sua vida, eram inseparáveis até mesmo nos treinos, ele se designou treinador de Samia, incentivando e buscando a cada dia superar o tempo, a falta de estrutura para treino, e o medo da guerra constante em que eles viviam, mesmo no pátio de onde viviam e brincavam, ao som de armas constantes, eles não se lamentavam.

"Tenho dez anos e você vai ver que, quando eu tiver dezessete vou estar disputando uma prova nos Jogos Olimpicos. É lá que eu quero chegar."


Hodan irmã de Samia era seu porto seguro, ao dormir seus canto com sua voz melodiosa embalavam o sono de Samia, dando a segurança e alimentando uma amizade familiar necessária para sobreviver, uma admiração que dava forças necessárias para continuar lutando.

"Você é uma pequena guerreira que corre pela liberdade."

Samia não desistia jamais, nem diante de acidentes e perdas na sua família, ela era incrivelmente forte, superando todos os obstáculos, principalmente o medo, para treinar, para se fortalecer e um dia chegar nas Olimpíadas. Quando ela faz sua primeira inscrição para uma competição em seu país, é com muita garra e determinação que vence em primeiro lugar, chegando em casa com duas medalhas testemunhas do seu esforço, sua família fica radiante com a vitória, e ela mesma não se cabe de tanta alegria.


Para ela não existia mais obstáculos, ela iria lutar para se fortalecer mesmo sabendo da carência de alimento e um treinamento adequado, ela iria lutar mesmo depois que seu amigo vai embora com sua família para um lugar desconhecido, ela iria lutar mesmo depois da morte de seu pai.


Mas existia o Al-Shabab, tudo que ela conhecia como cultura de seu país mudou de um dia para outro, músicas e cantar era proibido até mesmo em suas casas, cinemas foram fechados, homens eram obrigados a usar calças compridas, as mulheres não podiam fazer mais nada, o uso da burca preta da cabeça aos pés era obrigatório, até seus treinos tornaram- se perigoso demais para se fazer de dia, mas ela não desistia e mesmo a noite ela passava horas tentando superar o cronometro e alcançar a velocidade necessária para chegar em primeiro.


Samia, cresce continua atrás de seus objetivos, vai a Pequim e lá percebe que precisa aprimorar para conseguir ser uma corredora profissional, seu sonho era disputar as olimpíadas de Londres, o comitê olímpico repara na sua determinação, mas seu país está em guerra constante, e conseguir documentos para ser uma pessoa livre parece mais difícil que ela pensava. Ela então resolve sair da Somália, ela toma a mesma decisão que Hodan sua irmã tomou anos atrás após a morte de seu pai.



E essa luta constante para se livrar de seu país será intensa, sofrida de modo surreal, diversos refugiados a mercê de traficantes, dispostos a arrancar dinheiro de pessoas que tentavam fugir, buscando uma vida melhor. Samia sofreu nas mãos desses traficantes, viveu momentos de terror e dúvida se realmente sobreviveria essa jornada, sua família fez de tudo para que ela alcançasse seu objetivo, mas infelizmente Samia foi mais uma vítima que apenas tentava sobreviver.

Esse livro me levou as lágrimas, fiquei consternada com a história de Samia, uma menina tão jovem e determinada, que sofreu em busca de seu sonho de ser uma atleta olímpica. Esse livro traz uma reflexão intensa, de como a vida dessas pessoas são abreviadas pela maldade de outras, de como são lutadoras, sofridas desde que nasceram. Como ela mesma descreve o cheiro de pólvora está impregnado na alma dos nascidos na guerra, onde a esperança é algo distante e a única coisa que importa é sobreviver.

" Parceria algo mágico e me dava uma sensação de segurança. Se havia regras que o explicavam, o universo não podia ser tão perverso. Quem sabe um dia poderiamos descobrir as leis que levavam os homens a fazer guerra, e, e nesse dia, nós eliminaríamos para sempre. Seria o dia mais bonito da história da humanidade."


A história de Samia, refletiu em mim um pensamento de como somos egoístas, de como nos apegamos a bens materiais, a coisas completamente fúteis. A simplicidade e determinação na breve vida que Samia teve é o suficiente para mostrar ao mundo que é preciso amor e compreensão, que a luta dela não pode ter sido em vão, que os sonhos devem ser perseguidos independente de suas limitações.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥