Resenha "Menina má"





Classificação

Informações do livro
Titulo: Menina má
Autor/a: William March
Editora: Darkside Books
Gênero: Literatura Internacional/Terror
Livro enviado para resenha em parceria Ed.Darkside Books.

Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.
Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.
MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.


Estava com grandes expectativas para ler esse livro e ele não me decepcionou, William March o autor do livro tem um passado um tanto quanto estranho e isso lhe rendeu uma forma peculiar de criar esse romance que temos como protagonista Rhoda Penmark de apenas oito anos e essa personagem foi capaz de me deixar completamente em choque.


Quem olha para a capa do livro não faz ideia do que irá encontrar, até por que o título não é evidente e isso é o que deixa o livro ainda mais instigante. Rhoda é uma menina de oito anos que mora com sua mãe Christina Penmark, enquanto seu pai está em serviço fora por tempo indeterminado. Sua mãe desde sempre reparou que Rhoda não era uma menina comum, com apenas oitos ela tinha um comportamento extremamente amadurecido, não era de demonstrar seus sentimentos e ao mesmo tempo mantinha seu jeito meigo e fofo de ser, que conquistava com facilidade os mais velhos.



Porém, com o passar do tempo começavam a surgi dúvidas com relação ao comportamento de Rhoda, principalmente depois de participar de um piquenique em sua nova escola particular, e nesse evento ocorrer a morte de um colega e sua expulsão logo em seguida, pensamento conflitantes sobre o ocorrido começam a perturbar mentalmente Christine, e Rodha parecia completamente apática ao acontecido.


Onde elas moravam eram vizinhas da senhora Breddlove e seu irmão Emory, duas pessoas excêntricas que viviam suas vidas de forma plácida e complacente. Breedlove, porém era fatigante, seu jeito extrovertida e prolixa enchia o ouvido de Christine com assuntos aleatórios sem se preocupar com seu ouvinte, a história de seu passado é um fato interessante.

Outro personagem ativo no livro era Leroy, zelador do prédio, um senhor ranzinza, invejoso, injustiçado e desagradável que fazia de tudo para irritar a senhora Breedlove, mas seu alvo principal era Rhoda, a única criança que não sentia medo de suas brincadeiras de mau gosto, e claro o único que percebeu que Rodha era uma criança diferente, ele instigava Rhoda ao extremo, e achava divertido ser irritante, até o momento que ele desperta a atenção de Rodha e cria um grande problema para si.



O que acontece com essa família, é algo completamente surreal, Christine irá descobrir de forma mais terrível o que sua querida filha Rodha é de verdade, por trás de toda meiguice forçada, ela esconde uma personalidade monstruosa e maquiavélica. William March cria personagens caricatos e cômicos o que deixa ainda mais a história interessante.


O desenrolar dos personagens e acontecimentos é carregado de suspense, uma grande revelação com o passado de Christine desde a sua infancia define a personalidade psicopata de Rhoda. Rodha é uma personagem maquiavélica que não mede as consequências, mesmo que ela tenha que ir para vias de fato. É uma menina sinistra, tensa e desafiadora, ela não deixa se levar por sentimentos bondosos, que chega ao ponto de ridicularizar a própria mãe. Seu traço de psicopata é tão latente que tive que para ler para processar a história, ela não sente remorso pelas suas atitudes, e simplesmente convive com o acontecido como se fosse ir brincar no parque em um dia de sol.

 Ela é extremamente competitiva, inteligente e sempre quer estar à frente de seus colegas na escola ou em qualquer lugar.
Esse clássico do terror foi publicado em 1954 e foi um sucesso para época, ganhou adaptação para o cinema em 1965 interpretado por Patty McComarck e rendeu o prêmio de melhor atriz. O final é surpreendente e inesperado, eu imaginava algo completamente diferente, mas mesmo assim foi muito satisfatório e apropriado. A leitura desse livro pode ser um pouco confusa no início, mas logo no primeiro capítulo consegui me familiarizar com os demais personagens, super recomendo a leitura desse livro.





Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá amigos obrigada pela visita!
Livros, a Janela da Imaginação!


Livros, a janela da imaginação - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥